NOTÍCIAS

Postado em 15 de Julho de 2019 às 08h29

REPUTAÇÃO E IMAGEM DA MARCA O impacto nas vendas e no seu negócio

Representatividade e Ações (63)

Vagner Dalbosco,
mestre em Ciência da Informação, especialista em Comunicação e Imagem Pública, professor da Unochapecó e diretor da Previu Inteligência

A reputação é o principal ativo de uma marca, construída a partir da correta administração de sua imagem pública ao longo do tempo. Fator de impacto direto no rumo dos negócios, a imagem pública de uma marca é determinada no imaginário coletivo e na cabeça do consumidor a partir de dois "mundos" em constante interação: o "mundo físico", em que o consumidor tem contato com as coisas reais e suas representações por meio de elementos visuais e simbólicos; e o seu "mundo mental", constituído por suas percepções e experiências numa dimensão psicológica, as quais irão interferir nas suas preferências e decisões.
Administrar esse processo de interação nunca foi tão complexo como agora. O relacionamento entre as marcas e seus públicos de interesse passam por profundas transformações desde o final do Século XX, quando o antigo modelo de comunicação, denominado de "um-para-todos", deu lugar ao atual modelo de "todos-para-todos". No modo anterior, as empresas mantinham uma comunicação unidirecional, imprecisa e financeiramente mais custosa (jornais, rádio e televisão) para atingir seus potenciais consumidores.
Já nesse novo modelo em vigor, em que todos tornaram-se produtores e receptores de conteúdo diante de uma imensa diversidade de ferramentas digitais, pelo menos duas situações devem ser observadas. Por um lado, a euforia compreensível das empresas em usufruir dessas ferramentas para potencializar seus negócios por meio de uma comunicação mais direta, precisa e eficaz, mesmo diante de orçamentos por vezes modestos. Não à toa, hoje entre 70% e 80% dos pequenos negócios no Brasil utilizam as mídias sociais para ampliar as vendas e aproximar-se dos clientes.
Por outro lado, muitos gestores ainda não compreenderam que tais ferramentas não são "simples" canais de divulgação e venda. São, antes de tudo, ambientes de interação, organização e mobilização do consumidor, que passou a ocupar um papel central neste modelo, tornando as marcas mais suscetíveis a crises de imagem e, em alguns casos, colocando em risco sua própria reputação quando esta não está alicerçada em valores sólidos. Há muito tempo o consumir deixou de comprar considerando apenas as características do produto (marketing 1.0); e as empresas deixaram de produzir e vender baseadas apenas no comportamento do consumidor (marketing 2.0). O consumidor de agora busca identificar as marcas engajadas nos mesmos valores e causas que ele está associado (marketing 3.0), bem como as que apostam na conectividade (marketing 4.0) para a construção de um relacionamento colaborativo, honesto, transparente e autêntico.
Esse consumidor mais exigente e vigilante não compra apenas produtos ou serviços, mas valores, ideias, causas e histórias em sintonia com ele. Por isso é fundamental que as marcas construam uma relação cada vez mais coerente entre sua identidade e a imagem projetada na mente do consumidor. Marcas que só querem vender e fazer negócios sem um propósito, estão fadadas a diluírem-se neste nosso mundo líquido.

Veja também

Maior retorno de ICMS aos municípios ACIC: Governador fez justiça com o Grande Oeste04/07/19 O fim de uma grande injustiça perpetrada impunemente contra as comunidades produtivas do grande oeste de Santa Catarina há muitos anos. Essa é a manifestação da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) em documento encaminhado ao Governador Carlos Moisés da Silva, nesta semana, cumprimentando pela edição de decreto que altera o......
ACIC no Legislativo Câmara terá sessões extraordinárias para votação de projetos23/08/19Vereadores querem votar ainda em agosto projetos que autorizam financiamentos para o Poder Executivo As sessões do mês de agosto no Legislativo chapecoense encerrariam nesta sexta-feira (23), com a realização de Sessão Solene em homenagem aos 102 anos de Chapecó. Porém, para permitir a apreciação......
ACIC no Legislativo Vereadores rejeitam projeto que reduz número de cadeiras na Câmara01/07/19Após anunciar medidas de redução de custos na Casa, projeto foi reprovado em primeira votação Após quatro pedidos de vistas, os vereadores colocaram em pauta e votaram na sexta-feira (28) o projeto de autoria do vereador Neuri Mantelli (sem partido) que sugere a redução das vagas do número de cadeiras na Câmara de 21......

Voltar para Notícias