NOTÍCIAS

Postado em 16 de Junho de 2015 às 08h44

Josias Mascarello conta trajetória de cinco gerações no ramo da construção civil

Programa Vida Empresarial é desenvolvido pela ACIC em parceria com a Unochapecó


O vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e Empresário do Ano 2014, Josias Mascarello, contou sua trajetória bem-sucedida no ramo da construção civil durante o Programa Vida Empresarial, desenvolvido em parceria entre a ACIC e Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), nessa semana, no salão de atos da instituição de ensino. A iniciativa foi criada em 1991 para registrar e destacar o espírito empreendedor de pessoas que ajudam no desenvolvimento econômico de Chapecó e região.
Na abertura, o presidente da ACIC, Bento Zanoni, enalteceu a parceria com a universidade, lembrando que há alguns anos também apresentou sua vida empresarial no evento. “É sempre uma honra contar nossa história, relatar as dificuldades, os desafios e as conquistas e, com isso, servir de exemplo para quem está no início ou ainda iniciará a carreira profissional ou empresarial”.
O vice-reitor de planejamento e desenvolvimento da Unochapecó, professor Claudio Jacoski e a coordenadora do curso de Administração da Unochapecó, professora Andrea Benke Zambarda, destacaram que a iniciativa representa uma oportunidade de aprender com a trajetória de vida de empresários bem-sucedidos.
Josias Mascarello iniciou sua apresentação destacando a história da família com a construção civil, o desejo desde criança de atuar na área, o período na faculdade de Engenharia Civil, as dificuldades, dúvidas, desafios e conquistas. Demonstrou ainda algumas diferenças entre as obras ao longo dos anos, o cenário atual e a modernização do trabalho, além da importância de acreditar nos sonhos para superar os obstáculos e alcançar o sucesso. “Empreender com responsabilidade: este é o lema! Este é o caminho e a promessa para o futuro”, destacou.
Cinco gerações na construção civil
A história da família Mascarello com a construção civil já ultrapassa os 130 anos. Ela começou em 1883 com o bisavô de Josias, passou para o avô, o pai, o próprio Josias e agora para o filho dele, o Conrado. As duas primeiras gerações se especializaram na construção de igrejas, catedrais, hospitais e escolas, principais demandas daquela época. A terceira geração, do pai do palestrante, voltou-se para obras convencionais e foi responsável pela construção de diversas empresas em Chapecó a partir do ano de 1952. Foi justamente observando o trabalho do pai, que Josias Mascarello se interessou pela construção. “Eu sempre dizia que queria ser pedreiro, meu sonho era assentar tijolos”, conta.
A história com a construção
Segundo o engenheiro, o primeiro contato dele com os negócios foi aos 10 anos. “Nós tínhamos geladeira e percebi que meu vizinho não tinha e refrescava a garrafa de vinho na água corrente da torneira. No dia seguinte, levei um balde de gelo para ele e recebi dinheiro em troca. Gostei muito de fazer negócios e continuei levando gelo até o inverno começar e acabar com meu empreendimento”, relata com bom humor. A partir daí, a vontade de trabalhar não teve mais fim.
Aos 14 anos, Josias começou a trabalhar com o pai nas obras, mas apenas como auxiliar. “Eu era servente de pedreiro, passava o dia molhando tijolo”. Em busca de realizar o sonho na construção civil, aos 16 anos resolveu ‘trabalhar por conta’. Em 1969 já era responsável por pequenas obras, como muros e escadas. Nos intervalos, trabalhava como garçom. “Eu era muito tímido e comecei a mudar através do contato com as pessoas, aprendi a me comunicar, o que me favoreceu muito depois nos negócios”, explica.
Engenharia Civil
Com a meta de se formar em Engenharia Civil, Mascarello foi estudar em Caxias do Sul, reprovou na primeira vez que prestou vestibular e decidiu trabalhar e estudar em Porto alegre. “Cheguei a morar em um barraco de obra, que tinha uma cama, uma pia e as pilhas de cimento; fui vendedor de livros e trabalhei em churrascaria. Em 1973 fiz cursinho e passei no vestibular da PUC”, lembra com orgulho de um tempo de dificuldade e superação.
Depois de realizar seu maior sonho – ingressar no curso de Engenharia – ele conquistou o próximo passo: residir na casa do estudante. Estabelecido em Porto Alegre, conheceu na Universidade uma celebridade da década de 70: ‘Magro Miguel, o Rei da Noite de POA’. Logo fez amizade com o músico e passou a trabalhar em casas noturnas. Atuou de garçom à gerente, chegou a ser sócio de um estabelecimento, e garantiu assim o pagamento das mensalidades da PUC. Prestes a se formar, recebeu do amigo uma proposta quase irrecusável: ser sócio em uma casa noturna em Miami, na Flórida. “Foi uma decisão muito difícil, mas resolvi me formar e voltar para Chapecó para abrir meu escritório”, afirma.
Empreendendo em Chapecó
Formado em dezembro de 1979, o jovem engenheiro abriu o tão sonhado escritório em janeiro de 1980. “Quando cheguei aqui fiquei preocupado porque não tinha gente e muito menos obra. Então, resolvi abrir o escritório voltado para a área de projetos, mas os negócios eram poucos e cheguei a lamentar não ter aceitado a proposta de ir para Miami”, diz. Em 1982, Josias ficou sócio em um hotel da cidade, negócio que manteve durante 20 anos. Em junho de 1986, enfim, criou efetivamente a Construtora Catarinense. “As empresas tem que começar pequenas. Eu fazia RH, administrativo, financeiro, relações públicas, era pedreiro e, nas horas de folga, engenheiro”.
A década de 80 – e início de 90 – mostrou ser um momento de oportunidades e também de grandes dificuldades. Segundo o empresário, foi o período áureo dos condomínios e ao mesmo tempo da tragédia do plano econômico. “Os condomínios funcionavam da seguinte forma: um conjunto de empresários se reunia para contratar a construção de prédios. Foi assim que trabalhamos naquele período. Porém, o plano econômico quebrou várias empresas. Primeiro veio o Cruzado, depois o Bresser, o Plano Verão e, por fim, o Collor I e Collor II que foram decisivos para acabar com aquelas que ainda tentavam sobreviver”, relata, apontando a realidade do período econômico entre 1986 e 1991.
Apesar das dificuldades, os momentos de crise fortaleceram aqueles que conseguiram se manter. As empresas chamadas ‘sobreviventes’ se tornaram sólidas e reconhecidas. Foi o caso da Construtora Catarinense, que cresceu em meio às adversidades. Porém, mais um obstáculo aparecia: era o fim dos investimentos em condomínios e a empresa precisaria se reinventar. Atento ao mercado, em 1995, Josias Mascarello criou a Incorporações Chapecó e passou a atuar com foco na incorporação de prédios residenciais e comerciais. “Foi uma nova ideia em meio às crises, o que significa que tudo precisa de esforço. Tem como vencer todas as dificuldades”, aconselha.
A construção hoje
Foram 25 anos com a empresa no mesmo local – onde havia sido a casa do pai de Josias – até o engenheiro conseguir comprar o terreno dos sonhos e construir a nova sede da empresa como sempre imaginou. Desistir é uma palavra que não faz parte da vida deste palestrante. Atualmente, amparado pelo filho – também formado em Engenharia Civil – ele modernizou não somente a aparência da empresa, mas também a atuação, totalmente voltada às incorporações. Entre as mudanças, Mascarello relata a diferença na área construída e lembra que em 2008 o auge da empresa foi uma obra de nove pavimentos. Agora, os prédios triplicaram e eles estão edificando um residencial de 27 pavimentos que, em breve, deve ser ultrapassado por uma construção ainda maior.
Depois de tantas histórias, o palestrante que passou a vida empreendendo deixou claro que o caminho do sucesso é apenas um: a dedicação e o amor ao trabalho. “Na vida, acima de tudo, temos que ter determinação e coragem”, finaliza. 

Veja também

Certificado Digital já pode ser emitido na nuvem com validade de cinco anos28/01 Fonte - SEGS.com.br Tecnologia segue em evolução e, agora, além de poder ser carregada em mídias criptográficas e no celular, pode ser armazenada, também, na nuvem com a opção de cinco de anos de validade   O Certificado Digital, conhecido por viabilizar transações no meio eletrônico com validade jurídica e total......
Diretores da ACIC visitam presidente da Câmara de Vereadores18/04/16 Os diretores da Associação Comercial e Industrial (ACIC) realizaram, nessa semana, uma visita ao presidente da Câmara de Vereadores de Chapecó, João Marques da Rosa. No encontro, trataram sobre pautas de interesse comum para......

Voltar para Notícias