NOTÍCIAS

Postado em 19 de Setembro de 2016 às 08h59

Mercoagro 2016 encerra em Chapecó com mais de US$ 160 milhões em negócios

Com um montante de negócios fechados, agendados ou prospectados da ordem de 160 milhões de dólares, encerrou nesta sexta-feira (16) em Chapecó a décima-primeira edição da Mercoagro (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne). O número de visitantes-compradores chegou a 20.000. Classificada como a maior do setor na América Latina, a feira foi organizada pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) no Parque de Exposições Tancredo Neves, na maior cidade do grande oeste catarinense.
“Foi a melhor edição de toda a série histórica”, proclamou o presidente da feira Bento Zanoni. Para ele, as empresas de processamento da carne sabem que a feira tornou-se o grande ponto de encontro do setor para troca de experiências e gestão, abertura de mercado, lançamento de novos produtos, apresentação dos avanços em robotização e automação industrial, além da transmissão de conhecimentos com seminários científicos. “É um evento essencial na preparação de pessoas para compreender e atender os novos desafios, conquistar novos mercados e manter os atuais”, expôs.
“A confiança está voltando lentamente ao mercado e, novamente, o agronegócio e a agroindústria vão puxar a retomada do crescimento”, assinalou o presidente da ACIC Josias Mascarello. Destacou que em um ano em que a crise econômica assola vastas áreas da atividade, a Mercoagro apresenta-se com vitalidade ímpar. “Não apenas porque todos os espaços se esgotaram, mas, essencialmente, porque esse evento traduz a ação, o dinamismo e o arrojo de uma das maiores e mais complexas cadeias produtivas da economia brasileira, com a presença dos principais atores do mercado”, realçou.
Para o coordenador operacional Nadir Cervelin, “a feira confirmou sua vocação como celeiro de bons negócios do setor”.
Como reflexo dos resultados positivos, 80% dos expositores renovaram pedido para expor na 12ª edição, em setembro de 2018, de acordo com levantamento da Enterprise, empresa contratada para comercializar os espaços aos expositores.
A feira reuniu 200 expositores que representaram 650 marcas e recebeu visitantes da Alemanha, Argentina, Áustria, Austrália, Bolívia, Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Rússia, Canadá e China.
Durante a Mercoagro, empresas fornecedoras dos mais diversos setores da indústria mundial da carne apresentaram suas inovações, entre eles refrigeração, automação industrial, ingredientes e aditivos, embalagens, transporte e armazenagem, equipamentos e acessórios. Também participaram da exposição fabricantes de máquinas, equipamentos, implementos, insumos e instalações para todas as etapas do processo industrial, desde o abate até o embalamento, congelamento, higiene, segurança e análise de processos.
A Mercoagro está localizada no centro de uma região com mais de 600 pequenas, médias e grandes indústrias frigoríficas de abate e processamento de aves, suínos e bovinos. Nessa área frutifica uma malha de indústrias de bens de produção que oferecem 100% das máquinas e equipamentos necessários para construção e instalação de unidades frigoríficas. Chapecó é um dos principais polos tecnológicos de industrialização de carnes do planeta, situada em uma região com grande concentração de frigoríficos.
PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA
Uma extensa programação paralela de eventos técnicos e científicos apresentou novidades e tendências do mercado mundial de carnes. Fizeram parte da programação o 11º Seminário Internacional de Industrialização da Carne, o Salão de Inovação, a Clínica Tecnológica e o Laboratório Experimental, coordenados pelo Senai, o Painel de Oportunidades e a Sessão de Negócios, organizados pelo Sebrae/SC.
A novidade deste ano foi a Mercoshow (palestras técnicas, comerciais e conhecimentos inovadores para visitantes) e a integração com o projeto “Encadeamento Produtivo Aurora Alimentos – Sebrae/SC: suínos, aves e leite”.
A feira contou com o apoio institucional do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), do Centro de Tecnologia de Carnes do ITAL, da Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carne do Estado de Mato Grosso do Sul (Assocarnes), Associação Gaúcha de Avicultura (ASGAV/SIPARGS), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Comerc Energia, Núcleo Oeste de Médicos Veterinários (Nucleovet), entre outras instituições.

Veja também

Otimismo e previsão de bons negócios no lançamento da MERCOAGRO 2016 23/10/15 Novidades e inovações para o conforto dos visitantes-compradores e estímulo às vendas dos expositores foram anunciadas no ato de lançamento da Mercoagro 2016, Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne, nessa semana, em Chapecó. A expo-feira é uma das mais exitosas iniciativas da Associação Comercial e......
Demandas do Oeste são apresentadas à Câmara de Tecnologia e Inovação da FIESC24/05/18Núcleo de Tecnologia de Informação e Comunicação da ACIC, Deatec e Simec expuseram importância do setor de TI e as necessidades para continuar se desenvolvendo O setor de tecnologia está em fase de expansão no mundo todo e no Oeste catarinense não é diferente. As demandas do setor foram discutidas nessa semana em reunião da Câmara de Tecnologia e Inovação da......
UTIL Alimentação muda e fica mais moderno e seguro20/07/17 Nos últimos anos, o número de transações com cartões magnéticos aumentou consideravelmente. Seja compras pela internet ou no comércio local, o uso de cartões de débito, crédito ou de......

Voltar para Notícias