NOTÍCIAS

Postado em 11 de Setembro de 2014 às 08h30

MERCOAGRO 2014 - Seminário abre com palestra sobre inovação, tecnologia e competitividade

Com o tema “Inovação, Tecnologia e Competitividade na Indústria de Carnes”, foi realizado ontem, dia 10, o X Seminário Internacional de Industrialização da Carne, no Lang Palace Hotel. O evento, paralelo a Mercoagro 2014, tem, entre os objetivos, se tornar um dos eventos mais importantes do setor da industrialização da carne, trazendo tendências, oportunidades e inovações para a indústria. Participaram profissionais e estudantes do setor, que ouviram palestrantes nacionais e internacionais que falaram sobre a história, o momento atual e as tendências do setor de carnes no Brasil e no mundo.

Na abertura do seminário, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), Bento Zanoni, destacou a parceria com o Senai, Fiesc e BTS Informa. Para ele, o evento é uma oportunidade única para aprender. O diretor da Mercoagro e representante da BTS Informa, José Danghesi, também ressaltou a qualidade do seminário e as parcerias.

A carência de profissionais competentes e comprometidos foi citada pelo diretor da Secretaria de Agricultura de Chapecó, Nelson Krombauer. Para ele, o seminário é uma oportunidade de aprender e colocar em prática, além de mostrar a importância da tecnologia para a competitividade. Já o vice-presidente regional da Fiesc, Waldemar Schmitz, ressaltou que o objetivo é integrar conhecimento, tecnologia e inovação, buscando tendências de mercado e o desenvolvimento da indústria.

Logo depois dos pronunciamentos iniciou a primeira palestra da manhã, “Estratégias criativas de competitividade na indústria”, com o doutor Jefferson de Oliveira Gomes, do Senai. Ele falou sobre a economia do Brasil nos últimos 30 anos, destacando que todos os 163 índices pesquisados pelo IBGE cresceram e como isso se reflete na indústria. “Com o aquecimento da economia, nossa indústria derreteu. Temos um déficit na balança comercial de R$ 110 bilhões”, disse.

Para mudar essa situação e melhorar os números, assim como o desenvolvimento da indústria do País, o Senai desenvolve várias atividades com foco em pesquisa, tecnologia, inovação e empreendedorismo. Conforme Gomes, as empresas fortes que investem em pesquisa aplicada no Brasil não chegam a dez. Ele citou a Petrobrás, a Vale e a Embraer.

Para aumentar e melhorar as pesquisas, o Senai criou 60 Institutos de Tecnologia e 26 Institutos de Inovação. Além dos 4 milhões de alunos do Senai no País, as empresas também podem usar os laboratórios para fazer pesquisa e desenvolver projetos de inovação, por meio de um processo de edital. “O Senai aporta R$ 300 mil para as empresas. Já são mais de 1.100 empresas atendidas pelo Brasil”, conclui o palestrante.

Veja também

Necessidades transformadas em oportunidades tornaram a Rissi um grande nome de fachadas e esquadrias no Brasil20/07 Determinação, dedicação, comprometimento, arrojo e persistência são alguns dos ingredientes que fazem parte da história da Rissi Fachadas e Esquadrias. O diretor da empresa, Vanderlei Rissi, relatou sua trajetória de sucesso nessa quinta-feira (19), no Programa Almoço Empresarial da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC).......
Workshop do CENA discute liderança e inteligência emocional22/08 Em um mercado cada vez mais competitivo, profissionais que possuem habilidades além da técnica são cada vez mais requisitados pelas empresas. Pessoas que têm facilidade de trabalhar em equipe, conseguem resolver......
Conselho de Núcleos da ACIC fortalece o associativismo26/03 O Conselho de Núcleos da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) promoveu, na última semana, a primeira reunião do ano. No encontro, que reuniu os coordenadores para a gestão 2018/2019, foram......

Voltar para Notícias