Aba 1

    NOTÍCIAS

    Postado em 15 de Dezembro de 2016 às 14h30

    Entidades debatem melhorias no processo de emissão de alvarás

    Melhorar os processos e discutir entraves para a abertura de empresas foi o objetivo da reunião promovida nessa terça-feira (13) na Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC). O encontro foi organizado pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de Santa Catarina (Sescon/SC), regional de Chapecó, e teve participação de representantes da ACIC, prefeitura, Corpo de Bombeiros, Sindicato dos Contabilistas de Chapecó (Sindicont) e do presidente da Junta Comercial do Estado de Santa Catarina (Jucesc), Júlio César Marcelino Jr.
    A intenção foi debater todo o processo, desde o início, com o pedido de viabilidade da empresa feito pelo contador, até a análise na Jucesc, na prefeitura (por onde passa pelos setores predial, de obras, Vigilância Sanitária e tributos) e no Corpo de Bombeiros. “O intuito foi sentir as dificuldades dos empresários e ouvir os órgãos públicos. Ficou evidente que hoje, em Chapecó, o maior gargalo é a questão da acessibilidade”, frisou a diretora regional do Sescon/SC, Franciele Ghuolo Carneiro.
    O presidente da ACIC, Josias Mascarello, relatou que a entidade recebe muitos questionamentos relacionados à acessibilidade. “As obras novas não têm problema, pois os projetos já são feitos conforme as exigências da legislação. A dificuldade está nas obras antigas, que precisam de adequações”, realçou.
    Mascarello destacou que o secretário de Desenvolvimento Urbano de Chapecó, Wilson Lobo de Carvalho, apresentou um dado preocupante para o setor produtivo no que se refere à resolução dos problemas de acessibilidade: a dificuldade da prefeitura em gerir e dar maior velocidade à análise dos processos e sua liberação. Existem 1.325 processos pendentes e mais 1.250 não analisados. “Isso significa que 2.575 empresas estão empacadas. Isso não é possível se conceber em um momento em que a situação econômica é crítica. As micro, pequenas e médias empresas, que poderiam estar gerando empregos e renda, não conseguem ter seus processos liberados”, enfatizou.
    Para atender as necessidades de adequações de obras, foi publicada a Portaria Nº 22, de 31 de maio de 2016, que estabelece critérios para avaliação de obras e projetos. A portaria criou métodos para viabilizar as adequações com o menor transtorno possível para as empresas e proprietários. “A Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA) se reúne uma vez por mês e avalia os projetos, que depois vão para análise do prefeito e da promotoria pública”, explicou Carvalho.
    Conforme Franciele, todos os órgãos públicos e entidades se colocaram à disposição para atuar de forma conjunta na melhoria dos processos. As reuniões com as entidades para a busca de soluções das dificuldades existentes serão retomadas em 2017.

    Veja também

    MERCOFLORA 2016 já tem programação científica definida17/11/15 Com oito meses de antecedência está definida a programação científica da nova feira especializada de Chapecó – a MERCOFLORA 2016 – iniciativa da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) em parceria com o Conselho das Entidades Empresariais (CEC) e programada para o período de 14 a 16 de julho de 2016, nos pavilhões do......
    Ferramenta disponibilizada pela ACIC agiliza recuperação de crédito20/01/17 Protesto Expresso O protesto é um ato formal pelo qual se comprova a inadimplência e o descumprimento de uma obrigação originada em títulos e outros documentos de dívida. Todas as dívidas vencidas e não......
    ACIC no Legislativo Vereadores de Chapecó debatem melhorias no bairro Trevo08/04/19Requerimentos que solicitavam obras em Unidade de Saúde e CEIM foram rejeitados em plenário Na sessão da Câmara de Vereadores de Chapecó de sexta-feira (5), dois requerimentos do vereador Cleiton Fossá (MDB) dominaram os debates em plenário. Eles solicitavam ao prefeito informações sobre a......

    Voltar para Notícias