NOTÍCIAS

Postado em 09 de Dezembro de 2014 às 15h25

Entidades de Chapecó pedem o fim da transferência de policiais para o litoral

Em expediente encaminhado ao governador do Estado, as entidades empresariais de Chapecó – Associação Comercial e Industrial (ACIC), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (SICOM) – pedem o fim da transferência anual de policiais para a “Operação Veraneio” do litoral catarinense porque essa medida fragiliza a situação de segurança na região.
O intenso crescimento populacional, urbano e econômico que Chapecó experimenta nos últimos anos – de acordo com os dirigentes – impacta, inexoravelmente, na complexa questão da segurança pública. Lembram que esse cenário já foi exaustivamente discutido e analisado em sessões públicas e em documentos encaminhados às autoridades competentes, concluindo-se que o principal e mais deletério efeito é o aumento da ocorrência de praticamente todos os delitos tipificados na legislação penal brasileira.
Fazer frente a esse fenômeno e garantir a qualidade de vida dos chapecoenses é o desafio do Estado e da sociedade. As entidades entendem que, de regra, não tem havido omissão porque a sociedade civil vem expondo, discutindo e reivindicando, enquanto os organismos do aparato estatal de segurança vem adotando as ações e providências possíveis e cabíveis. “Estabeleceu-se uma exitosa relação de cooperação pautada pelos superiores interesses da coletividade.”
Os presidentes Bento Zanoni (ACIC), José Carlos Benini (CDL) e Marcos Antonio Barbieri (SICOM) registram que ocorreram sensíveis melhorias em face do aumento do efetivo policial e da aquisição de viaturas, equipamento e armamento. Outro fator positivo foi a adoção de uma metodologia de investigação “pós-crime” pelo Comando da 4a Região Policial Militar (coronel Edivar Antônio Bedin) e pelo comando do 2o Batalhão de Polícia Militar (tenente-coronel Júlio César Pozo da Fonseca) com positivos resultados na captura de criminosos e na repressão aos atos delituosos,
Entretanto, esses avanços na segurança pública estão, agora, ameaçados pela retirada de grande parcela do efetivo lotado em Chapecó para atuar na recém-iniciada Operação Veraneio 2014/2015. Sustentam os presidentes que, apesar da justificativa dessa medida, fundada na necessidade de atender os milhares de visitantes/turistas da orla marítima catarinense, repete-se um equívoco tradicional: a diminuição, mesmo que temporária, da força policial operacional fragiliza e vulnerabiliza a comunidade chapecoense, predispondo-a para a ação dos bandidos. As estatísticas criminais comprovam essa preocupação.
Ao final, os empresários reivindicam “a manutenção e o retorno a Chapecó dos policiais civis e militares convocados para a Operação Veraneio para que, em suas respectivas bases de origem, deem prosseguimento ao plano de segurança pública que trouxe mais tranquilidade aos chapecoenses neste ano.”

Veja também

Observatório Social apresenta ações ao Conselho Deliberativo da ACI28/03/18 O presidente do Observatório Social (OS) de Chapecó, Armelindo Carraro, participou, nessa semana, de reunião do Conselho Deliberativo da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e explanou sobre o impacto positivo das ações do OS na vida dos cidadãos. O encontro reuniu conselheiros, diretores e associados da ACIC e foi conduzido pelo......
Transportes Marvel: meta é ampliar frota em 10% até 202207/07/17 Há mais de quatro décadas no mercado, a Transportes Marvel construiu sua trajetória com muita dedicação, persistência frente aos desafios e baseada na busca da qualidade. A história da empresa foi relatada nessa......

Voltar para Notícias